domingo, 20 de dezembro de 2015

Pernil assado com ervas e acompanhamento de farofa crocante

O pernil é uma das carnes mais apreciadas nas festas de fim de ano, ao lado do peru e do tender. Não é nada complicado de fazer, mas é bom tomar cuidado para que fique bem temperado e para que não resseque.


Segue a receita para um pernil de mais ou menos 3 kg. Costumo usá-lo desossado, para facilitar.

Bata no liquidificador:

1 xícara de vinho tinto
2 ramos de alecrim fresco
1 colher de sálvia
1 colher de tomilho
1 colher de segurelha
6 dentes de alho
1 cebola grande
sal a gosto

Em uma bacia, coloque o pernil, o tempero batido e mais 1 ramo de alecrim e misture bem. Cubra a bacia com filme plástico e deixe na geladeira por 24 horas, virando de vez em quando. Isso vai fazer com que a carne pegue bastante tempero e fique muito saborosa.
Em uma assadeira, coloque o pernil, regue com o tempero e cubra com papel alumínio. Asse em forno baixo até ficar bem macio. Tire o papel alumínio e deixe dourar.

Para a farofa:

500 g de farinha de mandioca torrada
2 cebolas fatiadas bem fininho
1 colher de azeite
2 colheres de manteiga ou margarina
sal a gosto

Torre a farinha em uma frigideira, mexendo sempre para não deixar queimar.
Em uma panela, coloque o azeite, a manteiga e as cebolas e deixe fritar bem. Acrescente a farinha e mexa por alguns minutos, até ficar bem sequinha.

Outras receitas de Natal:

Salada de frango defumado
Bolo da fortuna
Peru (ou Chester)
Salada de banana
Tender Natalino

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Escandinávia: Helsinque


Ao longo de sua história, a Finlândia sofreu forte influência da Suécia e da Rússia, a cujo império esteve anexada entre 1809 e 1917. O sueco é a segunda língua oficial do país e a arquitetura de Helsinque tem muitas influências das construções de São Petersburgo, capital da Rússia na época.


A Catedral de Uspenski é o maior templo ortodoxo da Europa Ocidental e chama atenção por suas cúpulas douradas e pela fachada de tijolos vermelhos.


A branca catedral luterana Tuomiokirkko é considerada o símbolo da cidade, conhecida como cidade branca do Norte. Fica na principal praça da cidade, a Praça do Senado (Senaatintori). Lá estão, também, a Universidade, o Senado e a estátua em homenagem ao imperador Alexander II.


Outra igreja interessante é a igreja na pedra (Temppeliaukio), cavada na rocha e com cúpula em espiral com fios de cobre.


Para bater perna nos dias de sol, os lugares mais interessantes são a Esplanada, o Parque Sibelius, com o curioso monumento ao compositor, e a Ilha Suomenlinna, tombada pela Unesco.


Nesta ilha, que fica a poucos minutos da costa, os suecos iniciaram a construção de uma fortaleza em 1748. Atualmente o espaço abriga museus e galerias. Os barcos municipais saem de frente ao mercado do porto (Kauppatori), que é também um bom lugar para passear e experimentar os peixes e frutos do mar no almoço. Em suas barraquinhas, além de comida, há artesanato e souvenires.


Helsinque não se destaca pelos museus, mas os admiradores do arquiteto e designer Alvar Aalto vão curtir muito a visita guiada à Aalto House. Se tiver tempo, também vale visitar o museu Ateneum, que abriga a maior coleção de arte da Finlândia e apresenta mostras temporárias bem interessantes.


Para comer?

Zetor - Restaurante com decoração que remete às fazendas antigas, serve comida tradicional. O bife à tratorista é muito bom e a porção, gigante. Tem cardápio em vários idiomas, inclusive português. À noite, a movimentação em sua pista de dança é um espetáculo à parte.


Peninsula 1899 - Bom local para apreciar o "hot pot" ou fondue chinês, com direito a vários frutos do mar diferentes.


Leonardo Bar i Ristorante - O velho e bom italiano que é a salvação na hora do aperto. Comemos risoto de frutos do mar.


Para beber? Sou mega suspeita, porque aaaaaaaaaaaaamo sidra. Que não seja Cereser, é claro. Na Finlândia, ela é vendida em toda parte, da mesma forma que na Inglaterra, na França e no Canadá. Me esbaldei.


Veja aqui mais fotos de Helsinque.

Leia mais sobre a Escandinávia:

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Croque Monsieur

O Croque-Monsieur é um tradicionalíssimo sanduíche francês, encontrado em todos os bistrôs. Funciona bem no café da manhã, no lanche e mesmo no almoço, acompanhado de salada.
Super fácil de fazer, fica uma delícia - como tudo que tem um queijinho gratinado.


16 fatias de pão de forma sem casca 
2 xícaras de leite
2 colheres de maisena
1 colher de manteiga (eu dispenso, para emagrecer a receita)
2 ovos
1 lata de creme de leite
Sal e noz-moscada a gosto
Presunto cozido em fatias
Queijo gruyère ou ementhal ralado grosso

Em uma panela, faça um molho branco básico com o leite, a maisena e a manteiga, se for usá-la. É só misturar os ingredientes e cozinhar, mexendo, até engrossar. Deixe esfriar e misture os ovos batidos e o creme de leite. Tempere com sal e noz-moscada.
Em uma assadeira, coloque 8 fatias de pão de forma. Espalhe metade do creme por cima de cada uma delas, até que fiquem úmidas. Por cima, disponha as fatias de presunto e, depois, bastante queijo ralado (dependendo do tipo de queijo, coloco em fatias mesmo). Cubra o pão restante e, por cima, espalhe a outra metade do creme.
Polvilhe com o queijo ralado e leve ao forno pré-aquecido até que fique dourado.

Na ausência do queijo gruyère ou ementhal, use gouda ou queijo prato ou minas padrão ou mussarela ou parmesão...

Outras ideias para lanche:
Brioche

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Salada cremosa

Nesses dias de calor, não são muitas comidas que apetecem. É a época em que as saladas entram com tudo, saudáveis e refrescantes. Esta aí de baixo fica muito saborosa, com a associação de sabores do kani com a maçã.


1 pé de alface crespa
10 cebolinhas em conserva
50g de champignon em conserva
100g de kani kama desfiado
1 maçã picada
1 cenoura ralada
2 colheres de maionese light
1 colher (chá) de mostarda
Sal, pimenta e salsinha a gosto

Lave as folhas de alface e seque bem.
Misture os demais ingredientes e arrume numa saladeira, sobre as folhas de alface.

Mais ideias de salada?

Salada de alface com banana