quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Petrolina e Juazeiro

As cidades irmãs de Juazeiro e Petrolina ficam no meio do sertão, às margens do rio São Francisco, na divisa entre Bahia e Pernambuco. Turisticamente, não tem grandes atrativos, mas valem a visita para quem estiver de passagem pela região. Estivemos no local a caminho do Parque Nacional da Serra da Capivara, no Piauí. Petrolina foi, até pouco tempo, o aeroporto mais próximo da cidade de São Raimundo Nonato.


Petrolina e Juazeiro são cidades com grande influência regional desde a primeira metade do século 20, quando os vapores dominavam o transporte, fazendo a linha até Pirapora/MG. Com o declínio da navegação fluvial, a região investiu pesado no agronegócio e hoje é um grande polo produtor de frutas e vinho. Nas redondezas, há muitas plantações de uva, coco, banana, goiaba e manga, muita manga.


Um dos principais passeios é a visita às vinícolas locais. Algumas grandes marcas nacionais tem filiais no vale do São Francisco. Nos finais de semana, o Vapor do Vinho faz passeios pelo rio, com  parada na Barragem de Sobradinho e degustação de vinhos, brandy e espumantes na vinícola Miolo.


Na orla de Petrolina, há um calçadão com ciclovia e alguns restaurantes. Uma ponte faz a ligação entre Juazeiro e Petrolina, mas barcos de linha são muito utilizados pelos pedestres. Para o turista, a travessia de barco é pitoresca e muito mais agradável.


Em Petrolina, o pequeno Museu do Sertão exibe fósseis, objetos e muitas fotos contando a história da cidade. Uma casinha montada com peças originais retrata o interior de uma habitação típica do sertão e há uma seção sobre o cangaço. Apesar de não ser tão completa quanto o Museu do Cangaço da cidade de Piranhas/AL, ajuda a entender um pouco esse episódio da história brasileira. O pessoal do museu é bem simpático e um dos colaboradores, apaixonado pelo tema, poderá enriquecer muito a visita com histórias de Lampião e seu bando.


Em Juazeiro, o Museu Regional do São Francisco funciona em um lindo casarão do início do século passado e tem no acervo mobiliário de época e peças remanescentes dos vapores da Viação Baiana do São Francisco.


Espalhadas nas duas cidades, ainda se pode observar algumas construções típicas da arquitetura regional no início do século 20.


Quem estiver com tempo e disposição, pode visitar a represa da Hidrelétrica de Sobradinho. Há uma estrada que sai de Petrolina beirando o rio, com chácaras e restaurantes com terraços panorâmicos.


O principal artesanato da região são as carrancas, tradicionais nos barcos do São Francisco. Para conhecer, visite as oficinas da Ana das Carrancas e do Mestre Quincas.


Um dos pilares da culinária local é a carne de bode. Há, inclusive, um local chamado bodódromo, que concentra restaurantes da cozinha regional. Bode assado e bode guisado são as especialidades e vem acompanhados de macaxeira e baião de dois. A carne de carneiro também é um destaque e dá para experimentar kafta, linguiça e outras iguarias preparadas com ela. Para quem tem medo de ousar, tem picanha argentina também. Claro que não sou eu que vou dispensar pratos típicos para comer carne argentina no meio do sertão 😉


Restaurantes que eu gostei:

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Cookie de chocolate funcional

Mais uma receita do curso de confeitaria funcional organizado pela nutricionista Joana Lucyks, da Tempero Meu, com a chef Inaiá Sant'Ana, da Quitutices. Delícia!


250 gramas de chocolate 54% cacau sem traços de leite
3 ovos
1/3 de xícara de óleo de coco
2/3 de xícara de açúcar demerara (120g)
meia xícara de farinha de arroz (80g)
3/4 de xícara de farinha de quinoa (80g)
2 colheres de fécula de batata (40g)
1 colher (chá) de fermento químico
baunilha a gosto
1 pitada de sal

Derreta o chocolate com o óleo em banho-maria. Reserve e espere esfriar bem, Em outra tigela, junte as farinhas e o fermento e reserve. Na batedeira, bata os ovos com o açúcar até que esteja um creme bem fofo. Adicione a essência de baunilha e incorpore o chocolate derretido já frio. Por último, incorpore os secos. Bata tudo na batedeira. Cubra com filme plástico e leve à geladeira por quatro horas.
Preaqueça o forno a 200º e forre uma assadeira com papel manteiga. Faça bolinhas e asse por 5 a 8 minutos. Ficará um pouco mole, mas, depois de frio, ele endurece e fica bastante cremoso por dentro.
Experimentei fazer as bolinhas maiores e ficou como um brownie. Muito bom também.

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Massa com camarão e queijo brie

Eu adoro queijo brie! Camarão, então... Delícia!
Numas férias na Praia do Forte, provei um fettuccine preparado com os dois ingredientes que era muito, muito bom. Foi no restaurante Il Cantuccio e a vontade de reproduzir em casa gerou esta receita.


um pacote de espaguete (usei o Spaghetti nº 5 da Barilla) 
1 quilo de camarões limpos
1 cebola pequena picadinha
3 dentes de alho picadinhos
azeite
sal e pimenta-do-reino a gosto
de queijo brie picado em pedaços grandes

Tempere os camarões com sal e pimenta-do-reino. Ferva a água com sal e coloque o espaguete para cozinhar. Enquanto isso, em uma panela, refogue a cebola em um fio de azeite. Quando amolecer, junto o alho e refogue. Acrescente os camarões e deixe cozinhar rapidamente, na própria água que ele vai soltar. 
Quando o macarrão estiver cozido, escorra. Junte os camarões e azeite a gosto. Misture bem, para distribuir adequadamente. Acrescente o queijo brie picado e misture, mais uma vez. Sirva imediatamente.


Mais sobre massas?

sábado, 1 de julho de 2017

Pudim de pão gelado

Muito esquecido atualmente, o pudim de pão já foi um "clássico"... Para mim, tem cara de infância e, de vez em quando, gosto de matar saudade. Esta receita com flan fica bem saborosa.


2 copos de pão picado
2 copos de leite
açúcar a gosto
1 pacote de flan
1 colherinha de canela
1 pitada de sal

Coloque o pão em uma panela, adicione o leite fervendo e vá desmanchando o pão. Junte o açúcar, a canela e o sal. Por último, misture o flan e leve ao fogo, mexendo, até ferver. Coloque em uma forma caramelizada e deixe gelar.

sábado, 17 de junho de 2017

Filé com crosta de pimentas

Para variar um pouco o tempero do rosbife, descobri esta receita.
Muito saborosa, é facílima de fazer e tem aparência bem interessante.


uma peça de filé mignon de uns 800g
sal a gosto
2 colheres de pimenta-do-reino branca em grãos
2 colheres de pimenta-do-reino preta em grãos
2 colheres de pimenta-do-reino verde em grãos
2 colheres de manteiga
1 colher de azeite

Tempere o filé com sal a gosto. Com um pilão, quebre os grãos da pimentas preta e branca e junte-os em um recipiente. Adicione os grãos inteiros da pimenta verde e misture. E usei a pimenta-do-reino rosa no lugar da verde. Disponha o mix de pimentas em uma tábua e pressione todos os lados da carne sobre ele, formando uma crosta. Reserve.
Em uma frigideira grande , esquente bem a manteiga e o azeite, Frite cada lado da carne por cerca de quatro minutos ou até o ponto desejado. Retire do fogo e cubra a peça com papel alumínio para manter a carne aquecida.

Molho:

1/3 de xícara de conhaque
1/2 xícara de creme de leite
1 xícara de caldo de carne

Enxague a frigideira e volte ao fogo. Adicione o conhaque e flambe por um minuto. Acrescente p caldo de carne e cozinhe até reduzir à metade (mais ou menos quatro minutos). Junte o creme de leite e, mexendo às vezes, deixe mais cinco minutos ou até engrossar ligeiramente. Fatie a carne e sirva o molho por cima.

Mais receitas com carne bovina:

Acém, com linguiça, tomate e cebola roxa
Contrafilé ao forno com batatas
Filé com nhoque ao molho de funghi
Estrogonofe simplificado
Tagliata
Bolo de carne com legumes
Quibe assado recheado
Picadinho
Contrafilé recheado

sábado, 10 de junho de 2017

Pudim de espinafre

Quer um jeito bem fácil de gostar de espinafre? Experimente este pudim...


Misture um maço de espinafre cozido e picadinho a um molho branco feito com uma xícara de leite (aprenda a preparar aqui). Junte queijo ralado a gosto, 2 ovos inteiros + 1 gema e, por último, uma clara em neve. Asse em banho-maria em forma untada e polvilhada.

sábado, 3 de junho de 2017

Bolo de nozes da Lourdes

Bolo de nozes é engraçado: tanto pode ser a coisa mais maravilhosa do mundo como pode ser horrível. Para que fique bom é importante que tenha bastante nozes e que não fique seco (esse é o erro mais comum). Há tortas e bolos de nozes com os mais variados recheios e coberturas, mas o melhor bolo caseiro de nozes que já comi é o da minha cunhada Lourdes. Preparado com recheio de nozes e leite condensado e com cobertura de marshmallow, dá um tiquinho de trabalho. Mas vale a pena!

Massa:

1 colher de essência de nozes
250 g de nozes moídas
200 g de manteiga
3 xícaras de açúcar (eu adaptei para 2)
3 gemas
2 xícaras de farinha de trigo
1 xícara de farinha de rosca
1 xícara e meia de leite
1 colher de fermento em pó
3 claras em neve

Bata na batedeira a manteiga com o açúcar e as gemas. Junte os outros ingredientes aos poucos e misture bem. As claras em neve e o fermento devem ser misturados por último, já sem usar a batedeira. Asse em forno médio, em forma untada e polvilhada com farinha de trigo.

Recheio:

1 lata de leite condensado
2 colheres de manteiga 
1 xícara e meia de nozes moídas

Misture o leite condensado e a manteiga e leve ao fogo ou ao microondas até dar o ponto de brigadeiro mole. Espere esfriar e misture as nozes.

Marshmallow:

1 xícara de claras
2 colheres (chá) de açúcar de confeiteiro
2 colheres de  Karo
1 colher rasa de emulsificante de sorvete
1 colher (chá) de essência de baunilha

Bater tudo junto na batedeira por 10 minutos.
Esta receita de marshmallow é bem fácil de fazer, não tendo tantos segredos quanto o merengue (veja aqui os tipos de merengue e como prepará-los).

Depois do bolo frio, desenforme e corte ao meio, no sentido do comprimento. Molhe a camada de baixo com guaraná (lembra que não queremos bolo seco?), espalhe o recheio e coloque a parte de cima, que também é regada com guaraná. Cubra com o marshmallow e decore com nozes picadas.
Também experimentei fazer cupcakes e deu certo, mas é preciso ficar muito atento na hora de assar para não passar do ponto.

Veja mais receitas de bolo:
Bolo delícia de coco