quarta-feira, 29 de julho de 2015

Beirute de atum

Este sanduíche é super leve e gostoso. Além de ficar pronto em 10 minutos...


- 3 pães sírios
- 1 lata de atum sólido natural
- 3 ou 4 colheres de requeijão cremoso (também pode ser maionese ou creme de ricota)
- 3 folhas grandes de alface
- 1 cenoura ralada
- 2 tomates em fatias
- sal e pimenta do reino a gosto

Corte o pão sírio ao meio e leve ao forno já aquecido. Cuidado para não torrar demais, deve ficar só crocante. Enquanto isso, misture o atum com o requeijão e tempere com sal e pimenta do reino a gosto. Umas gotinhas de limão também caem bem... Passe esta mistura em uma das metades do pão, cubra com a alface, a cenoura e o tomate. Cubra com a outra metade do pão e sirva.

Outras ideias para lanche:
Brioche


sexta-feira, 17 de julho de 2015

Bacalhau com natas


Já divulguei aqui minha receita tradicional de bacalhau. É realmente muito boa! Mas, de vez em quando, é preciso variar.
O bacalhau com natas é uma das maneiras mais tradicionais de prepará-lo e fica uma delícia.


- 1 quilo e meio de bacalhau dessalgado
- 3 xícaras de leite
- 6 cebolas cortadas em rodelas
- azeite
- 2 colheres de farinha de trigo
- 1 quilo e meio de batatas descascadas
- sal, noz moscada e pimenta do reino a gosto
- 3 xícaras de creme de leite
- queijo ralado

Afervente o bacalhau, tire a pele e as espinhas e desfaça em lascas grossas. Refogue em azeite as cebolas até ficarem transparentes. Junte o bacalhau e refogue lentamente. À parte, misture o leite com a farinha de trigo.  Misture ao refogado e deixe engrossar, mexendo de vez em quando.
Corte as batatas em cubos e refogue em azeite, de forma a deixá-las mais cozidas do que fritas. Junte ao bacalhau. Tempere com sal, pimenta do reino e noz moscada. Coloque a mistura numa forma de vidro, espalhe o creme de leite por cima e polvilhe com queijo ralado.
Leve ao forno para gratinar.


Mais opções de pratos com peixe:

Peixe assado com creme de espinafre

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Escandinávia: Copenhagen (ou Copenhague)

Nós entramos na Escandinávia por Copenhague e confesso que me surpreendi. Cadê os nórdicos, loiríssimos? Os vikings?


Chegamos à noite, muito cansados, depois de 24 horas de viagem. Fomos de metrô do aeroporto para a cidade e já demos de cara com dois bêbados dando vexame na rua.
Contrariando nossos princípios, acabamos comendo numa pizzaria próxima ao hotel e não vendo muita coisa. Apesar de algumas construções interessantes, a primeira impressão não foi de um lugar especialmente bonito. Pareceu uma cidade normal.
Na manhã seguinte, alguns nórdicos apareceram, mas são poucos, muito menos do que reza a lenda...


O centro histórico é bem compacto, com a prefeitura (Radhus), o tradicional parque de diversões Tivoli, a torre redonda (Rundetarn), o Teatro Real e a rua de pedestres Stroget, que, na verdade, é um conjunto de ruas que ligam a prefeitura ao canal Nyhavn
Este canal era um anexo ao porto e hoje a área está tomada por restaurantes, que ocupam as típicas casinhas coloridas. É, sem dúvida, o lugar mais bonito de Copenhague. Uma maneira interessante de aproveitar o visual é fazendo o passeio de barco pelo canal.


Os palácios mais visitados são Christianborg, casa do Parlamento e sede do Governo, e Amalienborg, residência da família real, mas o Rosenborg proporciona o passeio mais agradável, com seus belos jardins e o museu que abriga as jóias da Coroa.


Passeio obrigatório dos turistas, a pequena sereia dos contos de Hans Christian Andersen não tem muita graça, assim como a fonte de Gefion...


Para quem gosta de museus, vale visitar o Museu Nacional, que é o mais importante do pais, e a Gliptotek (Museu de Esculturas). No Museu Nacional vi um detalhe muito interessante na montagem sessão de vasos gregos. Ao lado de algumas peças, ficam imagens versão Disney dos personagens representados. Deve ser bem legal para as crianças (ou adultos mais desatentos) "ligarem o nome à pessoa"...


A vista do alto da torre da igreja Vor Frelsers Kirke vale a subida dos 400 degraus. Logo ao lado, fica Christiania - comunidade alternativa fundada nos anos 70.


O cruzeiro noturno de Copenhague para Oslo é feito pela DFDS Seaways e dura 17 horas. No caminho, paisagens suecas e norueguesas.


O ponto forte da culinária local são os peixes e frutos do mar, com destaque para o arenque e o salmão e para as bolinhas de peixe temperadas com ervas. A carne de porco também é popular e o prato quente mais tradicional é o porco servido assado, com batatas e repolho roxo.


Mas o mais típico mesmo são os smorrebrods, sanduíches abertos com recheios variadíssimos (peixes e carnes frias, ovos, camarão, saladas) servidos sobre um pão escuro denominado rugbrod.


Os dinamarqueses não tem o costume de almoçar, comem sempre uma salada ou sanduíche, como o smorrebrod ou o cachorro quente, que é vendidos em quiosques (polsevogn) e usa salsichas dinamarquesas tradicionais e coberturas variadas.


Este costume se reflete inclusive nos restaurantes para turistas, que tem um cardápio diferenciado para almoço e jantar. Leia mais sobre a cozinha escandinava aqui.

Restaurantes:

Skipperkroen, em Nyhaven - a melhor sopa de lagosta da minha vida até agora, moules, salmão...


Nyhavns Kroen, em Nyhaven - sopa de lagosta, porco assado, peixe frito


No cruzeiro para Oslo, o 7 Seas Restaurant tem um excelente buffet, tanto no jantar como no café da manhã.

Clique aqui para ver outras fotos da Dinamarca.

Para ver mais sobre a Escandinávia:

Noruega
Estocolmo
Finlândia
Comida escandinava

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Sopa creme de milho com frango

Mais uma da série receitas de sopinhas para o inverno...
Temos que aproveitar porque o frio passa rápido.


6 espigas de milho verde
1 peito de frango
4 envelopes de caldo de galinha
1 litro e meio de água
sal e pimenta do reino a gosto
1 cebola picadinha
5 dentes de alho amassados

Cozinhe o frango temperado em um pouco de água, espere esfriar e desfie.
Bata o milho no liquidificador com a água e o caldo de galinha.
Em uma panela, doure a cebola e o alho, refogue o frango desfiado e junte o milho batido. Tempere com sal e pimenta do reino a gosto. Deixe cozinhar por 30 minutos no fogo baixo mexa sempre para não grudar no fundo da panela. Se necessário, acrescente mais água.

Outras receitas de sopas:

Sopa cremosa de brócolis
Sopa dos deuses
Creme de batata baroa com carne moída